Buscar
  • Redação

Advogado Max Telesca, ex sócio de Dias Toffoli é denunciado por racismo

Atualizado: Set 29


O advogado Maximiliano Telesca foi denunciado junto ao Ministério Público, Secretaria de Direito Racial do DF, Ministério da Justiça e Ministério dos Direitos humanos, por racismo.


Consta da denuncia o seguinte:


"No dia 11 de maio de 2021, o denunciado praticou uma conduta negativa, enquadrada no código penal como sendo de Racismo, e que gerou grande repercussão e críticas entre a sociedade e advogados, no grupo chamado “Fogo no Parquinho”:


Assim, percebe-se claramente que a mensagem no grupo tem conteúdo discriminatório com a única finalidade de menosprezar os afrodescendentes, agressão essa que atingiu urna número indeterminado de pessoas, pois a palavra “Macaco” foi dita em referência à um emoticon enviado em um grupo de Whatasapp, por um Advogado Negro, Dr. Abel Cunha, mas sem ser apontada diretamente a ele.


Dr Abel Cunha é um advogado criminalista, afrodescendente, professor e muito querido entre os advogados. Assim, as mensagens visaram atingir os afrodescendentes e discriminai-os em razão da cor da pele, visto que o autor da mensagem palavra racista ao se expressar após uma figurinha enviada por uma pessoa afrodescendente da figura do comediante “Mussum” como “Macaco" (...)"


Max informou se tratar de fake news e que o caso é objeto de investigação na Decrim-DF.


“Eu estou te falando que foi uma notícia falsa que foi feita. Uma afirmação falsa que também está sob objeto de investigação a autoria disso aí. Eu sou um advogado que promove, inclusive a inclusão racial. Fiz uma promoção para estagiários negros no meu escritório e acabou gerando uma denúncia de racismo na Decrin (DF), teve pessoas que se pronunciaram aí. O que aconteceu foi que pessoas fizeram isso, acabaram criando esse absurdo. E está sob objeto de investigação isso aí para ver qual foi autoria, e quem foi a pessoa que produziu esse fake news.”


Max foi questionado pelo Tudo OK Notícias se ele conhecia Abel Gomes Cunha. Ele respondeu que desconhece quem é Abel Gomes Cunha e não tem nem certeza se trata de advogado. “Não sem quem é”, frisou.


O advogado também afirmou que a reportagem do Tudo OK Notícias foi procurada para “colocar sujeira no nome dos outros”. “Porque o inquérito do racismo lá na Decrin (DF), que é um inquérito sério que envolve algumas pessoas. Você está sendo usado para colocar aí, revanche, colocar sujeira no nome dos outros. Isso aí é muito grave, viu, nós vamos atrás da responsabilidade.”


O advogado foi informado que por ser importante é que o Tudo OK Notícias procurou o escritório para ouvir a versão do outro lado.


“Imagina se tem fundamento. Eu estou fazendo uma campanha para incluir pessoas negras de uma determinada posição em um escritório e aí eu vou fazer um negócio desse? Chega ser até absurdo, né? Quem fez isso aí beira a raia do ridículo.” Para Max, denuncia tem que ser feita na delegacia.


O espaço está aberto para quaisquer manifestações de todas as partes envolvidas na reportagem.






257 visualizações0 comentário